Publicidade:

O Romantismo como manifestação artística surgiu no final do século XVIII, mas se estabeleceu como a grande arte do século XIX. De acordo com os especialistas, a palavra romantismo, oriunda de romanço – o falar comum dos romanos – teria surgido como oposição ao movimento anterior, e em grande parte tria se fundamentado por conta de muitas transformações sociais, econômicas e filosóficas. Vale pontuar que o romantismo foi marcado por duas grandes mudanças importantes na história do homem moderno: a Revolução Francesa e a Revolução Industrial, ambas fizeram surgir burguesia industrial e a classe operária, os proletariados. Sem sombra de dúvidas, o romantismo irá marcar esta mudança em suas manifestações.

 

O romantismo como estética artística se proliferou por todos os campos, na música, na pintura, na escultura, na arquitetura e, principalmente, na literatura. Foi na Alemanha que surgiram algumas das grandes primeiras manifestações pautadas nos emblemas que seriam as características mais proeminentes de uma das escolas mais duradouras.

 

Como o romantismo durou mais de um século, é possível perceber diferenças em suas manifestações, bem como em suas fases.

 

Na pintura, por exemplo, suas características se aproximam um pouco da arte barroca, considerando-se os exageros. Nas formas, há dinamismo, através de uma composição em diagonal; valorização das cores e dos contrastes claro-escuro; busca das emoções humanas e de fatos da história da época. Ainda, vale pontuar, que há uma procura pelo conteúdo, mais do que os valores de arte, os efeitos emotivos, destacando principalmente a pintura histórica e  a pintura sagrada, em menor escala. São exemplos dessa pintura Delacroix e Goya.

 

Também é importante lembrar que o romantismo como estética que se inspirou na bandeira francesa da liberdade, também prezava pela liberdade de seu artista que tinha livre expressão sem que houvesse a necessidade de fixar-se em regras rígidas. Ao contrário, todas eram fortemente combatidas, estando-as postas e primeiro plano em detrimento de quaisquer elementos que pudessem tolher a criatividade e subjetividade vigentes.

 

Tais mudanças poderão ser vistas também na arquitetura que passa a utilizar de outras formas e materiais para compor suas construções. Primeiro utilizou-se o ferro, em seguida, o aço. Vale lembrar que dessa época, emerge ainda o gótico nas construções, que privilegiou muito a utilização dos novos materiais e das novas técnicas.

 

Já na área da escultura, não houve grandes expoentes, ao contrário, tratou-se de um movimento cujos representantes se aproximaram muito das obras de caráter funerário, devido ao tamanho de suas exoticidades.