Filme: Pulp Fiction

“Pulp Fiction – Tempo de Violência”, é um filme norte-americano, produzido e lançado em maio de 1994, escrito e dirigido pelo diretor Quentin Tarantino. Com produção de Lawrence Bender, roteiro do próprio Quentin Tarantino, baseado em um argumento de Roger Avary, tem em seu elenco: John Travolta, Samuel L. Jackson, Uma Thurman, Harvey Keitel, Tim Roth, Amanda Plummer, Maria de Medeiros, Ving Rhames, Eric Stoltz, Rosanna Arquette, Christopher Walken e Bruce Willis.  Classificado como gênero de suspense e crime, o filme ainda conta com a direção de arte de David Wasco. A distribuição é da Miramax Films.

Pulp fiction contou na época com um orçamento muito baixo, se considerados os padrões de Hollywood – pouco mais de 8 milhões de dólares. Característica típica de Quentin, que costuma trabalhar com o chamado cinema B. Entretanto, o filme se tornou um sucesso cultuado no mundo inteiro e faturou, somente nos Estados Unidos, a bagatela de mais de 213 milhões de dólares.

A princípio, o filme pensado por Quentin seria um curta metragem, que retratasse de forma bem peculiar, não as causas, mas as consequências de decisões que envolvem a violência. A história deveria ser contada em forma de trilogia, e os personagens teriam também narrativas separadas, de modo que se juntassem ao final dos três filmes. Todas as personagens, bem como as suas histórias estariam envolvidas no universo do crime.

O filme foi dirigido de forma diferente – usando uma técnica eletrizante, Pulp Fiction entrelaça três histórias que vão se cruzar no final. São personagens que estão diretamente ligados ao universo do crime – gângsters, assassinos profissionais, assaltantes, usuários de drogas. O filme é ambientado na Los Angeles dos anos de 1990, com os acontecimentos sendo apresentados em ordem cronológica, uma característica típica de Tatantino, presente em todos os seus demais filmes.

No longa, grande parte da é destinado aos diálogos repletos de humor ácido, e cheios de perspectivas filosóficas em torno da vida. O que gera a graça da narrativa, uma vez que são tipos que aparentemente, não teriam nada refletir sobre suas decisões ou ações.

O título do filme é uma referência direta às revistas Pulp, muito populares nos Estados Unidos e que se caracteriza pelas imagens repletas de violência, diálogos ecléticos, cheios de humor ácido, e alusões à cultura pop do cinema americano.

Pulp Fiction foi indicado a sete Oscars, tendo angariando os prêmios de melhor diretor, e melhor roteiro original.

Filme: Psicose

Um dos clássicos do cinema mundial, foi também um dos mais audaciosos filmes do mestre do suspense Alfred Hitchcock. Trata-se de “Psicose”, filme lançado em 1960, que contrariou uma das premissas modernas da época – o filme foi todo rodado em preto e branco, sendo que os coloridos estavam no auge da celebração. Na época, a justificativa de Alfred para rodar “Psicose” em preto e branco é que o suspense ficaria mais sanguento do que já era no roteiro original.

O custo do filem foi relativamente baixo, se considerado os padrões que existem hoje no mundo cinematográfico. Foram apenas 800 mil dólares, e o faturamento para os estúdios de mais de 40 milhões, somente nos Estados Unidos. Alfred Hitchcock, para fazer mais economia ainda, optou por usar grande parte do elenco que era o oficial na série exibida na teve americana “Além da Imaginação”.

O roteiro de “Psicose” é de Joseph Stefano, que adaptou a história de sangue e suspense a partir do livro de Robert Block. O roteiro foi altamente ousado – apresentavam um personagem principal e 40 minutos depois de tê-lo apresentado ao público, matam-no de forma a deixar todos em dos mais nítidos passamentos no cinema.

O filme ainda causa espanto em quem o assiste, mais de 40 anos depois de seu lançamento. Todas as vezes que é reprisado, alavanca a audiência de forma surpreendente. Se fosse lançado hoje, seria sucesso de crítica e público, do mesmo modo. “Psicose” é cultuado por cinéfilos do mundo inteiro e é considerado ao lado de “Os pássaros” a grande obra prima de Alfred Hitchcock, em especial por conta da cena antológica do assassinato da mulher tomando banho.

“Psicose” recebeu quatro indicações ao Oscar: Melhor Atriz, Melhor Diretor, Melhor Atriz Coadjuvante, Melhor Fotografia e Melhor Direção de Arte – preto e branco. Foi agraciado com o Prêmio do Globo de Ouro para a Melhor Atriz Coadjuvante – Janet Leigh.

Quem responde pela trilha sonora é Bernard Hermann e virou referência mundial e é uma das melhores trilhas (e mais conhecidas) do mundo.  No elenco estrelam Anthony Perkins, Janet Leigh, John Gavin.

O enredo gira em torno da história de Marion Crane uma secretária que comete um desfalque de 40 mil dólares, na empresa onde ela trabalha. Ela quer se casar e começar uma nova vida. Ela foge e durante a fuga, ela enfrenta uma dura tempestade que a obriga pernoitar em um hotel. E lá, a jovem não tem a menor ideia do que espera por ela.

Filme: Piratas do Caribe

Considerada a sexta franquia de maior sucesso de todos os tempos, “Piratas do Caribe”, é considerado um clássico do cinema contemporâneo. Lançado em 2003, simultaneamente nos Estados Unidos e no Reino Unido, já faturou mais de 3bilhões com os três primeiros filmes da série. Escrito por Terry Rossio, Ted Elliott e Jeff Nathanson, e produzido por Jerry Bruckheimer, foi dirigido por Gore Verbinski, Rob Marshall, Joachim Ronning e Espen Sandberg. Os filmes da saga de “Piratas do Caribe” receberam excelentes avaliações tanto da crítica especializada quanto do público. Basta verificar números e prêmios.

Distribuido pela Buena Vista, empresa associada Disney, teve um orcamento nada modesto para a realização do primeiro filme: mais de 140 milhões, que retornaram aos cofres da Disney, a produtora do filme, já na primeira semana de exibição, isto apenas nos Estados Unidos.

O fime que abre a franquia – hoje já está no quarto filme –  conta as aventuras do Capitão Jack Sparrow, vivido pelo brilhante Jonny Depp. Jack tem seu navio saqueado peloCapitão Barbossa, vivido pelo ator Geofrey Rush, e vê-se diante de um problema muito sério – além de ser roubado, ainda enfrentará um motim realizado pelos tripulantes de seu navio, o Pérola Negra. Se não bastasse, jack é abandonado numa ilha deserta, sem água, comida ou qualquer meio de sair dali, sozinho.

Depois de roubar o navio de Sparrow, Capitão Barbossa invade e saqueia a cidade de Port Royal. Na verdade eles estão em busca de uma das peças do tesoura perdido, que está em posse de nada menos que a filha do governador, Elizabeth Swann, interpretada pela belíssima atriz Keira Knightley. Já no navio, Elizabeth tenta negociar a partida dos saqueadores da ilha em troca da peça que precisam para desfazer um grande encantamento. Entretanto, achando que haviam encontrado a descendente de Bill Turner, levam a bela jovem em direção um lugar altamente sombrio. Will Turner, ferreiro apaixonado por Elizabeth, salva Sparrow de trás das grades em troca de ajuda para salvar sua amada. O que Will não sabe, é que Sparrow conhece um segredo que poderá mudar sua vida.

O roterio do filme foi inspirado num famoso brinquedo da DisneyWorld, que tem o mesmo nome. O filme recebeu mais de 5 indicações ao Oscar, incluindo melhor filme, e melhor ator, para ainterpretação impagável de Jonny Depp. No elenco estão Jonny Depp, Geofrey Rush, keira Knightley,  Kevin Macnally, entre ouros grandes nomes do cinema mundial.

Filme: Os Pássaros

Um dos filmes mais importantes da história do cinema mundial, é uma obra prima também de seu diretor. “Os pássaros”, de Alfred Hitchcock, lançado em 1963, foi baseado num conto homônimo da escritora britânica Daphne Du Maurier. O filme de terror não contou com um orçamento dos mais expressivos, foram apenas 2,5 milhões de dólares. O filme aclamado pela crítica e pelo público, traz no elenco a atriz Tippi Hedren, Jessica Tandy, Suzanne Pheshette, e o ator Rod Taylor. Distribuído pela Espaço filmes, foi relançado recentemente. O roteiro é de Evan Hunter.

O filme gira em torno da história de uma jovem de São Francisco, Melanie Daniels, interpretada pela “garota” de Hitchcock, a atriz Tippi Hedren. Melanie vai até a cidade isolada da Califórnia, chamada “Bodega Bay”. Lá, a intenção é a de encontrar o advogado Mitch Brenner, interpretado pelo ator Rod Taylor. Melanie conheceu Mitch num pet shop em Sçao
Francisco, e fica extremamente interessada por ele. Como ela é uma jovem bonita, rica, independente, que sempre vai atrás do que quer, parte numa viagem em que não está disposta a perder.

Melanie pega seu carro e dirige por cerca de uma hora até Bodega Bay, pois sabe que Mitch costuma passar aos finais de semana lá. Contudo, coisas estranhas começam a acontecer. Milhares de pássaros vão parar na cidade e passam a atacar os moradores. Os ataques vão se tornando cada vez mais violentos, e as pessoas, aterrorizadas, sem saber o que fazer.

Uma das cenas mais antológicas do cinema é justamente uma de “Os pássaros”. Hitchcock, obcecado por Tippi e pela possibilidade de uma técnica inaugural, usou pássaros de verdade para as filmagens, o que levou a atriz a ganhar um corte no rosto e vários hematomas pelo corpo. A cena foi rodada mais de 10 vezes, até que Tippi fosse levada à exaustão.

Hitchcock também tentou convencer à época o roteirista Joseph Stefano, com quem trabalhou em “Psicose”. Stefano recusou veementemente, por conta do gênio de Hitch. Segundo o roteirista, “ele não havia se interessado pela história”.

“Os pássaros” é um dos poucos filmes que não possui trilha sonora. Isto justifica o fato de o compositor Bernard Herrman, que trabalhou por muito tempo com Alfred, aparecer nos créditos do filme apenas como “consultor musical”.

Uma última curiosidade: Alfred Hitchcock optou por não colocar o clássico “the end” ao final do longa para gerar a impressão de que o terror que se instalara naquela cidade não tinha fim.

Disponível em DVD e Blue Ray.

Filme: Os Intocáveis

Lançado em 1987, o filme “Os Intocáveis”, foi dirigido por Brian de Palma, e com roteiro de David Mamet. O longa clássico foi todo baseado no livro homônimo publicado em 1957, é um drama policial norte- americano com duração de 2 horas. Com um orçamento de 20 milhões, o que é relativamente baixo para as produções norte americanas, arrecadou mais de 76 milhões, apenas nos Estados Unidos.  O filme recebeu o Oscar de melhor ator coadjuvante pela atuação de Sean Connery. Havia sido indicado para quatro estatuetas.

“Os Intocáveis”, recebeu as melhores críticas possíveis dos especialistas em cinema e do público. Os elogios foram diretamente concentrados na direção de Brian de Palma e no roteiro, por tratar de um tema polêmico que marcou a história norte- americana.

O enredo do filme se apoia na história da Lei Seca que perdurou durante a década de 1920 no país. Estrelado por Kevin Costner, o longa ainda conta com Sean Connery, Charles Martin Smith, Andy Garcia, Robert De Niro, Patricia Clarkson, Billy Drago, Richard Bradford, Jack Kehoe, Brad Sullivan e Clifton James.

A história é ambientada na Chicago dos anos de 1920. Al Capone é considerado o nome mais perigoso dentre todos os traficantes de bebida. Ele controla a cidade, de forma que tenha cada vez mais lucro com o tráfico de bebidas alcóolicas. Al Capone se vê de repente acuado pelo então personagem Eliot Ness, interpretado por Kevin Costner. Eliot tem a missão de prender o gângster e fará isto com a ajuda de outros policiais envolvidos no caso.

O que mais motiva, no entanto, o agente federal a embarcar na busca incessante por Al Capone, foi o pedido de uma mãe desesperada que havia perdido o filho durante um dos atentados da gangue de Capone. Com a ajuda de Petri (Andy Garcia) e do agente aposentado Jim Malone, o filme é pura ação do início ao fim.

“Os Intocáveis” tem uma das cenas mais antológicas do cinema mundial. Numa das grandes perseguições que Eliot faz em busca de uma testemunha,  há uma sequência de perseguição rodada numa antiga estação ferroviária, que lembra outra cena grandiosa de outro clássico do cinema. Eliot acaba perdendo seu companheiro Malone, que levou um tiro de um atirador de aluguel. Para vingar a perda do amigo, Eliot joga o atirador do alto do prédio.

Com muita articulação, Eliot consegue prender Capone e fazer com que este seja condenado por todos os seus crimes.

O filme é um dos clássicos sobre crimes do cinema. Vale, especialmente pela atuação brilhante do quarteto que busca fazer com que a lei prevaleça.